Domingo, 8 de Março de 2015

No dia da mulher, quer-se cultura musical

  

Diz que hoje é o dia do mulherio e que, então, temos direito a produtos grátis – o que é bom –, mas há cor-de-rosa por todo o lado – o que é menos bom. Para todas as mulheres, tenho uma prenda. Só mesmo porque me preocupo com a vossa cultura musical, sinto o dever de divulgar alguns violinistas. Só mesmo porque são bons. Violinistas.

  

 

David Garret

Teuto-americano, 35 anos

 

Venceu o Guinness World Record 2008 como violinista mais rápido do mundo.

david garret.jpg

 

Vale a pena ouvirem:

  

    

Charlie Siem
Inglês, 29 anos

d789695d7b4305e2c97b91d15f0ecaca.jpg

 

É a cara da coleção Primavera-Verão 2015 da Hugo Boss:

charlie siem hugo boss.jpg

 Apreciem:

  

 

Christopher Marchant

Norte-americano, 30 anos

 

A música não é a sua única arte, como podem ver nesta imagem.

 

Christopher é um dos elementos do quarteto de cordas Well-Strung, que faz associações musicais improváveis:

 

  

Agora mais a sério, esta é a minha opinião sobre este dia: desnecessário.

 

Qualquer ocasião é adequada para debater assuntos como a igualdade de género. Seja 8 de março ou 8 de agosto, todas as datas servem para lutar pela liberdade, seja do homem ou mulher.

 

O facto de haver um Dia da Mulher e não haver Dia do Homem é, por si só, algo que nos rebaixa e classifica com o rótulo de "criaturas frágeis". Tal como maioria dos "dias internacionais de qualquer coisa", este tem legítimas razões para existir, não o nego. Mas dizer "feliz dia da mulher" não fará a mulher mais feliz. Fazer um almoço ou jantar de mulheres não libertará aquelas que estão presas por correntes (des)culturais.

  

publicado por BataeBatom às 17:27
link do post | favorito (2)
De 43 e picos a 9 de Março de 2015
Ainda bem que, por fim, tornaste o assunto sério, porque já me estava a ver a oferecer para apertar as cordas a algum deles...
Sobre a igualdade, sim, é sem dúvida uma luta diária e constante, mas uma luta disfarçada, silenciosa, quase psicológica, precisamente para que não passe esse tal lado frágil, que tanto queremos ignorar/disfarçar.
O que dizer ao facto de não haver substantivo feminino para marido? Já sei, vão responder mulher, não, não aceito esse, porque mulher é apenas o contrário de homem, namorado/namorada, companheiro/companheira, homem/mulher, esposo/esposa, marido/???...
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


. ver BB

. seguir perfil

. 311 seguidores

.facebook

Bata&Batom no Facebook

.pesquisar

.posts recentes

. Art's friday #33

. Como quase sermos o que q...

. Art's friday #32 - Especi...

. Esta coisa do ano bissext...

. Como ter cabelo brilhante...

. Intermitências da vida

. Ser portuguesa é...

. Olhe, desculpe, isto é um...

. Porque raio querem levar ...

. Versão ikra-não-sei-quê d...

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.arquivo

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014