Domingo, 9 de Novembro de 2014

A São e a Madalena - Parte VI

 

Lembram-se do Conto Pingue-Pongue, que estou a escrever com a Maria das Palavras?

 

Após algum tempo de pausa deste projeto, revelo-vos finalmente a Parte VI. O Natal começa a invadir os estabelecimentos comerciais, as nossas casas e até mesmo a blogosfera. Chegou o momento de chegar também ao nosso conto pingue-pongue!

 

 

A São e a Madalena - Parte I (Maria das Palavras)
A São e a Madalena - Parte II (BB)
A São e a Madalena - Parte III (Maria das Palavras)
A São e a Madalena - Parte IV (BB)

A São e a Madalena - Parte V (Maria das Palavras)

 

ping-pong.jpg

A São e a Madalena - Parte VI

 

As palavras escapavam das bocas das jovens a uma velocidade demasiado lenta, comparativamente à dos seus pensamentos. A ânsia de contar cada novidade era tanta, que nem indicaram o destino ao taxista.

 

- Minhas senhoras! – gritou o condutor, já impaciente.

 

Sobressaltadas, miraram-no e, após um pedido de desculpas, São pediu que as conduzisse até ao Café Central. As amigas de longa data entreolharam-se, partilharam sorrisos cúmplices e voltaram a embrenhar-se nas suas conversas, desconhecendo que um SEAT Leon preto as seguia durante todo o percurso.

 

 

À noite, já o relógio apontava para lá das onze horas, São descrevia cada um dos seus colegas aos pais e à irmã. Prometeu-lhes que traria brindes do hotel, quando voltasse a Portugal. Não mencionou Esteban. Iriam julgar que se estava precipitar.

 

Destapou-se da manta castanha que a cobria e saiu até à rua, que a convidava a vestir um casaco mais quente. Afagou os pelos do Virtudes, o cão que a família acolhera no outono de 2012, na tentativa de pôr de parte os insistentes pensamentos acerca da atitude repreensível de São. Não a imaginava capaz de trair. E sentia tanta comiseração por Tomás, talvez um dos rapazes mais bondosos que já conhecera…

 

Estou em casa delas. Estão para ali no sofá com a família. Ouve, quero tudo pronto amanhã, quando a vaca chegar. Garante que a levas para tua casa. Estamos entendidos, Esteban?

 

Madalena espreitou de imediato na direção da voz que acabara de ouvir, escondendo-se fugazmente atrás do jipe do pai. Conseguiu ver Artur entrar no carro preto, com uma confiança e um sorriso nos lábios que não conseguia reconhecer, e deu por si a tremer freneticamente, enquanto observava o carro a afastar-se. Não sabia se tremia de frio ou de medo.

 

 

A quase 900 quilómetros dali, Esteban arrependia-se da embrulhada em que se metera. Conhecera Artur, um aluno português que chegara à sua faculdade através de um programa de mobilidade internacional, e ficara a dever-lhe um favor, por razões que preferia não recordar.

 

Inicialmente, o plano que lhe fora proposto parecera-lhe facilmente executável. Já tinha pensado em procurar oportunidades de emprego em Valência e ser obrigado a ter uma companhia feminina não seria desagradável. “Só quero que ela saiba a merda que é ser abandonado sem uma única justificação”, garantira-lhe Artur. Porém, Esteban deixou-se encantar pela rececionista do hotel, assim que esta o atendera com olhar meigo e sorriso genuíno. 

 

Sentia agora as pernas fracas e a visão turva, enraivecido pelo recente pedido de Artur. Suspeitava que a véspera de Natal não iria ser pacífica.

 

(continua...)

 

 

Reação da Ti Joaquina, uma fiel (e fictícia) leitora do Bata&Batom:

isto ainda é melhor que a nobela2.png

  

publicado por BataeBatom às 13:59
link do post | favorito
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


. ver BB

. seguir perfil

. 313 seguidores

.facebook

Bata&Batom no Facebook

.pesquisar

.posts recentes

. Art's friday #33

. Como quase sermos o que q...

. Art's friday #32 - Especi...

. Esta coisa do ano bissext...

. Como ter cabelo brilhante...

. Intermitências da vida

. Ser portuguesa é...

. Olhe, desculpe, isto é um...

. Porque raio querem levar ...

. Versão ikra-não-sei-quê d...

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.arquivo

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014