Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

A melhor (ou a pior?) coisa de 2014

 

Provavelmente, já espreitaram a página especial fim de ano que o SAPO Blogs criou, com O Melhor de 2014. Se ainda não a visitaram, não deixem de o fazer. Lá, encontrarão sugestões de filmes, leituras, álbuns, séries televisivas, restaurantes, objetos e... coisas!

 

Quando fui desafiada a escolher a coisa que mais contribuiu para a melhoria das nossas vidas neste ano, tentei ser uma boa menina e responder sucintamente ao que me pediram. Mas uma pitada de ironia, acompanhada de algum otimismo, obrigou-me a mencionar o que pode ter sido o pior de 2014. Tem vindo a piorar há já alguns anos, verdade seja dita. E sabe-se que nunca foi excelente, sobretudo se a compararmos com a de determinados países. Mas sejamos sinceros: a televisão portuguesa está uma valente merd caca.

 

E foi esta frustração que deu origem à escolha da melhor coisa deste ano:

coisas que melhoraram as nossas vidas 2.jpg

"Esplêndida" transforma-se em "limitadora", se tirarem a cortina de sarcasmo que coloquei nesta afirmação. E porquê "limitadora"? Fácil: pretende apenas agradar aos amantes de play-back de música popular, de brejeirice, de ficção portuguesa e, nas raras ocasiões em que a minha TV tem o azar de estar ligada nesses canais, sofro danos auditivos.

 

Acredito que grande parte das apresentadoras portuguesas tenha feito um curso intensivo de "Como aumentar os décibeis do seu discurso" com nota máxima. Exprimem-se como se todos os espectadores tivessem idade superior a 70 anos. Como se os velhinhos não pudessem aumentar o som da sua televisão. Como se fosse necessário guinchar para ser apresentadora televisiva. O que elas não sabem é que a presbiacúsia (perda de capacidade auditiva associada ao envelhecimento) se manifesta principalmente pela incapacidade de ouvir os agudos! Então quem leva com os guinchos histéricos, quem é?! Pois.

  

Não peço que a TVI deixe, subitamente, de apresentar noticiários com erros ortográficos ou que apaguem a casa dos degredos da memória dos portugueses, mas não seria possível melhorar e, sobretudo, criar alguma variabilidade na programação portuguesa? 

 

Mas já que devemos tentar assumir uma atitude otimista mesmo perante as situações mais deprimentes, tive que concluir que uma vantagem da fraca qualidade da programação televisiva é a maior disponibilidade para visitar a blogosfera. Lá diz o ditado que "há males que vêm por bem"!

  

publicado por BataeBatom às 20:22
link do post | favorito (3)
De Sofia Margarida a 23 de Dezembro de 2014 às 10:20
Estou totalmente de acordo :D Boa BB :D
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


. ver BB

. seguir perfil

. 316 seguidores

.facebook

Bata&Batom no Facebook

.pesquisar

.posts recentes

. Art's friday #33

. Como quase sermos o que q...

. Art's friday #32 - Especi...

. Esta coisa do ano bissext...

. Como ter cabelo brilhante...

. Intermitências da vida

. Ser portuguesa é...

. Olhe, desculpe, isto é um...

. Porque raio querem levar ...

. Versão ikra-não-sei-quê d...

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.arquivo

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014